Blog

O que é puerpério?

por artmedicina em Curiosidades em Novidades em Saúde
Nenhum Comentário

Puerpério é o nome dado para o período de readaptação do corpo da mulher após o parto. Ele tem duração média de seis a oito semanas, o que corresponde ao tempo entre a realização do parto e a retomada da ovulação.

Este período também é conhecido por quarentena ou resguardo e sempre foi muito carregado de mitos e, infelizmente, de pouca informação.

Por ser um período de readaptação do corpo é preciso compreender que grandes mudanças físicas e hormonais ocorreram no organismo da mulher para suportar todo o período de gestação.

Portanto, durante o puerpério, a mulher passa não só por um processo em que seus órgãos internos e seus hormônios são reestabilizados, mas novos hormônios entram em funcionamento pleno, como a prolactina para a produção de leite.

Isso significa que além de cuidados pessoais, a mulher precisa de todo apoio para os fatores emocionais envolvidos, pois a situação desconhecida somada à responsabilidade de cuidar de um bebê, podem causar insegurança e frustração.

Mudanças físicas com o puerpério

O organismo feminino entende que após o parto é hora do útero se contrair para ajudar no controle do sangramento decorrente da saída da placenta. Este sangramento durante o puerpério pode durar até 40 dias, sendo mais intenso nos primeiros dias e mais leve nos últimos.

Contrações do útero podem ser percebidas como cólicas leves e tendem a ficar mais intensas no momento da amamentação, estimulado pelo movimento de sucção da mama pelo bebê.

Mamas enrijecidas e aumentadas também são sintomas deste período. Uma boa orientação para a amamentação é altamente recomendada. Além de garantir a nutrição correta do bebê, será capaz de aliviar o desconforto da mulher e auxilia de forma natural ao reestabelecimento do organismo, incluindo à volta ao peso de antes da gravidez.

Mudanças emocionais

Como já explicamos, o puerpério se resume a um período de readaptação física do corpo da mulher pós-parto, mas com grandes consequências emocionais.

Lidar com o novo já não é fácil. Infelizmente em muitos casos a mulher não conta nem com o apoio prático nem emocional do parceiro, família ou ajuda profissional.

A preparação para o nascimento de um bebê deve contemplar o apoio ao puerpério. Pense em como se organizar ou ajudar a mulher com a rotina prática de cuidados com o bebê, pois fazer isso sozinha e ainda equilibrar o sono interrompido, as dores na mama pela amamentação e as cólicas pela contração uterina, não é nenhum conto de fadas.

O apoio emocional é fundamental. Não exerça pressões sociais do tipo que cobra pela personagem “mãe perfeita e feliz”. Esqueça os palpites do tempo da sua avó, nem cai na tentação de comparativos. Tudo que a mulher não precisa num momento tão delicado como o puerpério é se preocupar com a opinião alheia. O turbilhão de emoções causado pelo binômio mamãe-bebê já é o suficiente.

Cuidados especiais com a alimentação

No puerpério a mulher precisa de uma alimentação adequada, afinal seu organismo será responsável pela produção de leite que alimentará o bebê.

A ingestão de alimentos leves e de fácil digestão, é indicada para amenizar as cólicas e a adaptação da flora intestinal. Ingerir proteínas de boa qualidade, evitando embutidos e alimentos gordurosos, é o que fará bem para a reposição de nutrientes perdidos com o sangramento. E água, muita água para auxiliar na hidratação e, consequentemente, na produção de leite.

Higiene e cuidados pessoais

Entre os mitos do puerpério está a dúvida sobre a retomada da higiene corporal por completo. Converse com seu médico sobre cuidados terapêuticos específicos. No caso de ter ocorrido parto vaginal com realização de episiotomia (corte no períneo) ou surgimento de hemorroidas pelo esforço, estes cuidados especiais e até medicamentosos (geralmente de uso tópico) podem ser necessários.

Assim como a cicatriz do parto cesárea, que deve ser cuidada com orientação médica para evitar edema e aliviar a dor.

Fora estes cuidados específicos, a higiene regular das partes íntimas e o banho de chuveiro (incluindo lavar o cabelo sem problema algum) está liberada.

Atividade física e sexual

Movimentos leves das pernas, como pequenas caminhadas ainda no hospital, são indicadas assim que a parturiente for liberada pela equipe médica. A retomada de atividades físicas mais intensas deve ser progressiva e apenas com liberação médica.

Já a atividade sexual requer atenção especial. O prazo mínimo de 30 dias deve ser respeitado pela necessidade de cicatrização, mas o tempo certo deve ser prerrogativa da mulher.

É preciso entender que no puerpério, a mulher sofre com a baixa libido e a menor lubrificação vaginal, sintomas das alterações hormonais.

É muito importante conversar com o seu médico sobre métodos de contracepção mais indicados para o puerpério, que não prejudiquem a amamentação (contraceptivos hormonais adequados), evitando uma gravidez indesejada.