Blog

Quais os riscos de um tratamento de fertilidade?

por artmedicinaem Curiosidades em Infertilidade em Saúde
Nenhum Comentário

O sonho de ser mãe pode ser muito difícil de ser realizado para muitas mulheres. Felizmente com o avanço da medicina e o surgimento das clínicas de fertilização esse desejo se tornou mais viável do que há algumas décadas.

Apesar da medicina moderna encontrar inúmeras técnicas e formas de realizar uma gravidez por meio do tratamento de fertilização, alguns riscos na saúde da mãe e no planejamento do casal devem ser considerados. Portanto alguns pontos devem ter atenção especial, principalmente a escolha da clínica de fertilização e os
profissionais que vão realizar o procedimento.

Um estudo realizado na Holanda, entre 1980 e 1995 com 25 mil mulheres (Fonte: Portal G1) que apresentavam dificuldade para engravidar, revelaram outros pontos a serem considerados. Como, por exemplo, o fato de que 77 mulheres participantes da pesquisa foram diagnosticadas com tumores na região do ovário. Portanto o estudo demonstra que após o tratamento a chance do surgimento de tumores pode aumentar, dependendo da genética, hábitos, entre outros fatores em conjunto.

 

Gravidez múltipla

O tratamento de fertilidade acaba resultando no estímulo para que vários ovócitos se desenvolvam e, assim, a produção de mais de um folículo. Isso quer dizer que a chance da gestação ser de mais de um bebê é grande.

Apesar de chegada de uma criança ser uma grande alegria, principalmente para a mãe que possui dificuldade para engravidar, receber mais de um bebê, quando não planejado pode ser um problema. Afinal, além do fato de duas ou três crianças resultarem em um custo grande aos pais e necessitarem de mais atenção, alguns problemas de saúde podem prejudicar as crianças.

No caso de haver mais de um bebê na gestação pode acontecer a necessidade de um parto prematuro. De acordo com pesquisas levantadas por especialistas do segmento, 50% dos gêmeos e 90% dos trigêmeos acabam nascendo antes de completarem a gestação de nove meses.

O bebê que nasce prematuro terá uma grande chance de possuir problemas de saúde e necessitar de cuidados mais intensos no primeiro momento de vida. Isso porque antes dos 9 meses de gestação diversas partes do corpo ainda estão em formação. Muitos ainda têm o pulmão em formação, portanto com uma capacidade menor do que deveria, o que acaba resultando na dificuldade de respirar. Problemas de circulação e um peso mais baixo também é comum nesses casos.

Esse problema é resultado pelo fato de que na maioria das vezes, com a gravidez múltipla, os bebês acabam sendo alimentados por uma única placenta. Sendo assim a criança não consegue recebe adequadamente todos os nutrientes que deveria. Apesar do grande sucesso de recuperação dos bebês prematuros, em alguns casos
podem não sobreviverem devido aos fatores citados ou demonstrar um desenvolvimento cerebral menor do que o esperado em gestações completas.

Na gravidez múltipla, há riscos para a mãe?

Na gravidez múltipla há grandes chances de aparecerem problemas de saúde com a mãe, que muitas vezes podem acabar prejudicando a saúde do bebê. Entre muitos problemas é possível citar a pressão arterial elevada, diabetes, anemia e excesso de líquido amnióticos.

O excesso do líquido pode resultar em um parto prematuro e acabar atrapalhando no desenvolvimento da criança. O resultado deste problema é que na maioria das vezes a mãe terá que permanecer de repouso até o momento do parto, que provavelmente será realizado por meio de uma cesariana.

É possível evitar a gravidez múltipla e outros problemas causados pela fertilização?

Pesquisar e buscar referências sobre a Clínica de Fertilização escolhida é extremamente importante para uma gravidez sem riscos. Com profissionais qualificados e que entendem profundamente sobre como conseguir evitar a gravidez múltipla é possível optar pela fertilização de forma segura. O profissional escolhido irá avaliar todo o ciclo reprodutivo da mulher, o que torna mais fácil proporcionar uma gravidez segura a mãe. É importante ressaltar, que mesmo com todo o cuidado, ainda assim há o risco de uma gravidez múltipla em um tratamento de fertilização, devido ao medicamento receitado.